domingo, julho 05, 2009

Même da Lelê

Não sou muito fã de mêmes, mas este quem me passou foi a Lelê – uma amiga muito querida (que eu surrupiei da minha irmã...rs), que acompanhei uma fase incrível e que sinto uma saudade grande –, então, vou fazê-lo. Não vou indicar ninguém, mas quem quiser fazê-lo fique à vontade, só me avisa pra eu dar uma espiada no resultado.

A regra é: escreva "cinco coisas que eu não sou, gostaria de ser, mas arrisco". Lá vai:

  1. Prendada: ah, sempre gostei de trabalhos manuais. Meu pai é fera. Meu padrinho era uma sumidade, mas eu não tenho a menor vocação. Já arrisquei pintar telas e até saiu algumas coisinhas bacanas, mas talento, talento, não descobri ainda. Queria saber costurar, bordar, pintar, recortar, colar...quem sabe um dia.

  1. Arquiteta: esta era uma das profissões que pensei um dia exercer, mas não fui em frente. No final das contas, amei a minha escolha. Sou jornalista feliz e amo o que faço. Mas não resisto a uma planta, minha imaginação voa e fico matutando o que eu poderia modificar ali. Nem preciso dizer que o projeto lá de casa – quando eu conseguir reformá-la – está cheio de idéias fantásticas, né?

  1. Organizada: não é que eu não tenha um mínimo de organização, porque isso tenho (acho que se enquadra na categoria do arrisco), mas conheço gente que tem toda papelada arquivada direitinho, as roupas em saquinhos, os armários organizadinhos...ai, ai. Eu tento, tento, mas ainda esqueço de pagar conta, não acho o comprovante de alguma coisa, perco os recados anotados e o armário continua bagunçado.

  1. Falar italiano: engraçado, nunca estudei, mas sou capaz de compreender o idioma direitinho (se a pessoa falar devagar), leio sem muita dificuldade, mas falar ainda não arrisco, porque não sei construir as frases certinhas. Mas amo tanto esse idioma que parece que já nasci com a programação para entendê-lo.

  1. Gostar de ser pequena: eu juro que me arrisco, mas, às vezes, derrapo. Sempre quis ser grande, alta, esguia. Tem momentos em que ser pequena me sufoca. No final, sei que tudo é uma questão de como eu me enxergo, como eu me acredito ser. A hora que eu deixar de arriscar e passar a realmente me sentir grande – independente do corpo pequeno – muita coisa vai mudar.

3 comentários:

  1. Lu, quanto tempo não te vejo por aqui! Vou pegar o meme pra mim e quando tiver bem inspirada respondo -senão só sai porcaria hehehe

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Lú, querida! Adorei!!!
    Tb tenho muitas saudades suas! Qd vier pra SP me avisa, viu? Temos que botar o papo em dia.
    Grande beijo

    ResponderExcluir
  3. Nice blog, thank you for sharing, it is recommended a gold site: FIFA 15 Coins at http://www.xyfifa.com/

    ResponderExcluir